Milagre: Único sobrevivente ouvia padre Manzotti durante acidente com 5 carros em no CE


Lorenna Azevedo, sobrevivente do acidente que deixou uma pessoa morta e duas feridas nesta quinta-feira (3) em Fortaleza, enviou mensagem ao padre Reginaldo Manzotti em uma rede social relatando o “milagre” de ter sofrido apenas arranhões leves na colisão que envolveu quatro automóveis e um caminhão.
“Ontem, ao voltar para casa, vinha no meu carro ouvindo o seu programa na rádio ‘A hora da Misericórdia’, e a última coisa que me lembro foi de ter me benzido, porque o senhor ia começar a ler o evangelho.

Então um carro desgovernado bateu na traseira do meu carro e a mão de Deus me guiou em direção a uma parede”, escreveu Lorenna na mensagem ao sacerdote.
“Fiquei comovido com esse testemunho. Fico entristecido ao ler notícias relatando a violência no trânsito brasileiro.

Que o Senhor tenha compaixão dos que sofrem pela perda de um ente querido e restabeleça a saúde dos que estão machucados”, respondeu o padre Manzotti.
Causas do acidente desconhecidas

As causas do acidente ainda não foram esclarecidas. Segundo testemunhas relataram à Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), uma motorista que dirigia em alta velocidade passou mal enquanto dirigia, perdeu o controle do veículo e bateu em outros quatro veículos. Uma pessoa morreu na hora.

A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social afirma que o caso será investigado pelo 15º Distrito Policial e um laudo deve ser divulgado em até 10 dias.

A motorista que iniciou o acidente foi atendida em hospital e recebeu alta nesta quinta-feira (3).

Força do impacto

Com a colisão, dois carros capotaram; o veículo Lorenna Azevedo colidiu contra a parede de um estabelecimento a cerca de 30 metros do local da colisão.
Os primeiros atendimentos foram realizados por funcionários de um posto de combustível em frente ao local do acidente. A câmera do posto mostra o momento do acidente.

Fonte: G1

Mentira de jovem leva 3 padres à cadeia injustamente


A influente revista norte-americana Newsweek publicou extensa reportagem sobre a série de falsidades do ex-coroinha Daniel Gallagher, que se tornara conhecido no país como “Billy Doe”.
As mentiras do jovem redundaram na injusta condenação de três sacerdotes e um professor da arquidiocese da Filadélfia, acusados de abusos sexuais cometidos contra ele.

Em 2011, Daniel Gallagher, então com 22 anos, virou manchete nos Estados Unidos ao afirmar que tinha sido violentado diversas vezes pelos padres Charles Engelhardt e Edward Avery (este último acabaria deixando o ministério sacerdotal) e pelo professor Bernard Sheroe quando cursava a quinta e a sexta séries na escola da paróquia de São Jerônimo, na Filadélfia.

Seu testemunho levou à condenação dos três supostos agressores e também do pe. William Lynn, ex-vigário da arquidiocese para assuntos do clero, considerado culpado de acobertamento.

Foi o primeiro caso da história em que um administrador católico foi condenado por esse tipo de acusação.

O processo foi estendido contra a arquidiocese da Filadélfia, condenada a pagar a “Billy Doe” uma indenização de aproximadamente 5 milhões de dólares. O valor foi pago em agosto de 2015.
Nesse meio tempo, o pe. Charles Engelhardt morreu na cadeia, em novembro de 2014, após ter um pedido negado pela justiça para se submeter a uma cirurgia cardíaca.

Desde as primeiras acusações lançadas por “Billy Doe” em 2009, o jovem apresentou pelo menos nove versões diferentes dos supostos abusos de que se dizia vítima.

Sua história, por mais inconsistente que se revelasse, foi o suficiente para atrair as atenções da jornalista Sabrina Rubin Erdely, da revista Rolling Stone, que, em 2011, deu voz às denúncias do rapaz num longuíssimo artigo intitulado “The Catholic Church’s Secret Sex-Crime Files” (“Os arquivos secretos dos crimes sexuais da Igreja Católica”).

O texto descrevia “Billy Doe” como “um doce e amável menino de boa aparência juvenil”.

A mesma jornalista escreveu mais tarde sobre o caso de “Jackie”, estudante da Universidade de Virginia que declarava ter sido estuprada por 7 homens durante uma festa de acadêmicos.

Pouco tempo depois, descobriu-se que a história de 2014, garrafalmente estampada nas capas da mídia americana e mundial durante semanas, não passava de pura mentira de “Jackie”.

A revista Rolling Stone teve de se retratar publicamente – e agora enfrenta dois processos por difamação.

Voltando ao caso dos padres acusados por mentiras semelhantes: a congregação religiosa do pe. Engelhardt, os Oblatos de São Francisco de Sales, contratou os serviços do psiquiatra forense Stephen Mechanik para avaliar “Billy Doe”, com ordem judicial.

No relatório de 40 páginas, divulgado pela revista Newsweek, o psiquiatra mostra os resultados dos exames de MMPI-2 (Inventário de Personalidade Multifásico de Minnesota), aplicados ao jovem acusador: nos exames, “Billy Doe” admite que mentiu e que forneceu “informações pouco confiáveis” sobre o caso.

Para demonstrar que o jovem “nem sempre foi honesto com seus prestadores de serviços médicos”, o psiquiatra fez uma revisão minuciosa da trajetória clínica de Daniel Gallagher, o “Billy Doe”: nada menos que 28 instituições entre clínicas de reabilitação por uso de drogas, hospitais, médicos e conselheiros sanitários.

Em uma das mentiras de Daniel Gallagher, contada em 2007 e repetida em 2011, ele se dizia “paramédico e surfista profissional” e alegava ter tido que abandonar o esporte devido ao vício em drogas.

Diante do Dr. Mechanik, porém, ele admitiu que não era paramédico e que nunca foi surfista profissional.
O rapaz também tinha afirmado que sofria de hérnia de disco, mas o Dr. Mechanik constatou que nenhum dos registros médicos indicava qualquer diagnóstico desse alegado quadro.

Da mesma forma, nas acusações de abuso sexual, o rapaz apresentou, segundo o perito, “informações contraditórias e pouco fiáveis” quanto aos detalhes dos supostos ataques, o que implica que “não é possível concluir com grau razoável de certeza psiquiátrica ou psicológica que o Sr. Daniel Gallagher tenha sido abusado sexualmente”.

A trajetória de Daniel Gallagher inclui fatos verificados como o consumo e tráfico de heroína, além da expulsão de duas escolas secundárias e da passagem por 23 centros de reabilitação por uso de drogas num período de 10 anos.

Ele ainda foi detido 6 vezes por roubo e por tráfico de drogas, incluindo um caso de posse e tentativa de distribuição de 56 pacotes de heroína.

“Curiosamente”, nada disso parece ter levantado as suspeitas da justiça norte-americana, que deu crédito ao jovem apesar da falta de provas e, com base apenas em acusações contraditórias, condenou à cadeia, injustamente, os três sacerdotes católicos e o professor apontados como estupradores.

E não foi por falta de alertas: em declaração confidencial obtida e divulgada pela Newsweek, o detetive Joseph Walsh foi consultado, em 29 de janeiro de 2015, sobre nove contradições importantes na história de Daniel Gallagher.

O investigador testemunhou que, quando interrogara o rapaz sobre as suas contradições, Daniel adotava três atitudes: ou permanecia sentado sem dizer nada, ou se limitava a alegar que estava drogado, ou contava mais uma história diferente.

A própria revista Newsweek afirma que há um conjunto de razões para se acreditar que Daniel Gallagher mente reiteradamente.

A publicação cita, como exemplo adicional aos já mencionados, registros escolares de numerosas denúncias de lesões físicas e psíquicas supostamente sofridas pelo rapaz – todas refutadas.

A quantidade de absurdos no julgamento dos acusados levou o Tribunal Superior do Estado da Pensilvânia, em 22 de dezembro de 2015, a anular pela segunda vez a condenação do pe. William Lynn e a ordenar um novo julgamento.

Três juízes concluíram que a magistrada da primeira instância, M. Teresa Sarmina, tinha admitido como provas 21 acusações adicionais de abuso sexual contra o sacerdote – mas as acusações remontavam a 1948, três anos antes do nascimento do padre.

No funeral do pe. Engelhardt, o superior provincial dos Oblatos de São Francisco de Sales, pe. James Greenfield, revelou que, na véspera do julgamento, o falecido sacerdote tinha recebido a proposta de “negociar um acordo para sair da prisão e realizar serviços comunitários”.

O sacerdote preferiu ficar na cadeia “porque não pretendia perjurar contra si mesmo ao se declarar culpado de um crime que simplesmente não tinha cometido”.
Justiça e verdade

O escândalo de sacerdotes, religiosos e freiras da Igreja católica responsáveis por abusos morais, econômicos e sexuais é um fato dolorosamente real e comprovado em dezenas de países de todos os continentes.

E é dever de justiça denunciar e punir com rigor cada um desses crimes, tanto por parte das autoridades civis quanto das eclesiásticas – nem sempre, porém, as autoridades eclesiásticas envolvidas tiveram mão firme para cumprir este dever, envolvendo-se, algumas delas, no escândalo adicional do acobertamento dos abusadores.

Os Papas Bento XVI e Francisco impulsionaram medidas rígidas de combate tanto a esses crimes quanto ao seu encobrimento por parte de autoridades cúmplices, embora a rede de facilitação de abusos fosse ampla o suficiente para continuar interpondo obstáculos às novas medidas de transparência, punição dos criminosos e indenização às vítimas.

Fonte: Aleteia

Oração para um Sábado de Glórias


Jesus Cristo, Filho Unigénito de Maria Santíssima, salvação do Mundo!
Filho do Criador Eterno,
Concedei-nos o espírito são e puro
para Vos dar a honra, a glória e o respeito
que Vos são devidos!
Libertador do mundo,
Enquanto não foi chegada a hora ninguém Lhe pôs as mãos,
porque Ele era, é e será sempre e para toda a eternidade,
Deus homem, começo e fim!
Jesus da Nazaré – Rei dos Judeus, título honroso
Ora, Jesus sabendo as coisas que deviam acontecer-Lhe,
adiantou-se e disse: - “A quem buscais?”
– eles responderam-lhe: “ A Jeus de Nazaré”
– Jesus lhes disse: Eu sou!
– Judas, que devia entregá-lo, estava com eles.
Apenas lhes disse que era Ele, caíram por terra.
Jesus perguntou de novo: “ A quem buscais?”
– Eles disseram ainda:
-“ A Jesus de Nazaré”, e Jesus lhes respondeu:

- “Já vos disse que sou Eu.
Se é pois a mim que buscais, deixai que estes se vão”
– disse apontando aos discípulos.
A lança, os cravos, a cruz e os espinhos,
a morte que sofresteis,
provam que apagasteis e expiasteis os crimes da Humanidade!
Preservai, meu Jesus Cristo, a todas as criaturas,
e a este vosso servo, de todas as chagas da pobreza,
da doença, dos laços dos inimigos.
Que as cinco chagas de Nosso senhor Jesus Cristo
me sirvam continuamente de proteção e defesa.
Jesus é o caminho da Salvação e a Vida Eterna,
Jesus é a Verdade.
Jesus, Filho de Deus Vivo,
Tende piedade de todos nós, especialmente deste vosso servo!
Jesus passou no meio deles, ninguém pôs a mão ímpia sobre Jesus,
porque a sua hora ainda não havia chegado!
Glória a Deus nas alturas!
Glória a Deus nas alturas!
Glória a Deus nas Alturas!
Assim seja hoje por todo o dia.
Ámen.

Folheto da Universal diz que hóstia é 'pão do mal'


Folhetos para a celebração de uma igreja evangélica em Taquaritinga (SP) têm causado polêmica entre os católicos: embalagens contendo hóstias foram distribuídas aos moradores com uma mensagem que associa o símbolo da eucaristia à expressão “pão do mal”.
Vigário de Taquaritinga, o padre José Sidnei Gouveia de Lima contou que os folhetos sem identificação com as hóstias começaram a circular em 23 de março e logo depois os fiéis católicos passaram a procurar as paróquias, revoltados com a mensagem que havia no cartão. “Dia 26 de março, vamos trocar o pão do mal pelo pão da vida, e determinar que todos tenham uma nova vida.”
Segundo o padre, na eucaristia está a presença real de Jesus Cristo. "Qualquer situação que envolva esse símbolo da fé católica nos deixa muito tristes, porque está mexendo com a fé da comunidade cristã católica.”
Lima afirmou que os padres das cinco paróquias se reuniram então com o bispo da Diocese de Jaboticabal (SP), Dom Eduardo Pinheiro da Silva, e escreveram um comunicado para expressar a indignação da Igreja Católica.

O material tem sido atribuído por fiéis católicos à Igreja Universal do Reino de Deus, que nega envolvimento. Para o padre Lima, trata-se de um caso isolado.
“As igrejas cristãs poderão dar um contributo muito grande a partir do momento em que construírem pontes entre si e buscarem viver a unidade. Toda atitude de construir barreiras e muros, ou mesmo tocar símbolos que são tão importantes para as outras denominações religiosas, acaba sendo um retrocesso no testemunho que devemos dar como cristãos”, disse

Veja o que Padre Marcelo Rossi disse sobre a reza do Terço Bizantino


Chamado terço ou rosário por se assemelhar ao tradicional terço mariano, na liturgia bizantina é chamado de: 'Cikotki'.
A oração através do Terço Bizantino é um caminho de libertação, pois o nome de Jesus é pronunciado constantemente o que o traz ao nosso ser em sua totalidade.

De acordo com as palavras do Padre Marcelo Rossi: "A oração através deste Terço é uma forma de se chegar à libertação que o nome de Jesus, pronunciado constantemente, traz ao nosso ser em sua totalidade".

O Terço Bizantino originalmente foi feito para a prática de 1000 orações, onde em cada uma das 100 contas se repita 10 vezes se repetindo o nome de Jesus Cristo da mesma forma que se repetem as Ave Marias no Terço Mariano.

Tradicionalmente o terço bizantino é orado da seguinte forma:
1. Segurando a medalha de São Bento, faz-se a Oração de São Bento:

“Que a Cruz Sagrada seja a minha luz, que o dragão não seja o meu guia.
Vai-te embora, satanás!
Nunca me aconselhes coisas vãs;
tudo o que me propões é mal;
toma tu mesmo o teu veneno!”

2. Antes de rezar-se as jaculatórias, reza-se uma Ave Maria, ou um Pai Nosso, ou um Credo.

3. Nas 100 contas seguintes costuma-se rezar a seguinte jaculatória: “Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus vivo, tende piedade de mim, porque sou pecador”. Pode-se também rezar outras jaculatórias à escolha, como, por exemplo: - Cura-me, Jesus! - Liberta-me, Senhor! - Jesus, eu te amo! - Obrigado, Jesus!

Você também pode realizar as orações através de um terço comum serve, sendo o mais importante é a sua fé e a sua reta intenção.

Depois de escolhido o tema, você repetirá dez vezes cada jaculatória (oração curta, de uma frase), nas contas em que se reza cada Mistério do Terço Mariano. Repita dez vezes cada jaculatória, até terminar as 50 contas dos Mistérios do Terço.

Não existe apenas uma forma de orar o seu Terço Bizantino, um dos motivos de ter se tornado tão popular é que há outras orações que podem ser feitas inclusive de acordo com o dia da semana , abaixo você pode ver algumas dessas orações que podem ser realizadas com o uso do seu terço, cada uma com um tema específico:
1) Como instrumento de Cura Física:

Jesus, me ajuda;
Jesus, me cura;
Eu te amo, Jesus;
Fica comigo, Jesus;
Obrigado, Senhor!

2) Família (domingo):

Senhor Jesus Cristo;
Senhor Jesus Cristo, neste domingo, tem misericórdia de minha família;
Senhor Jesus Cristo, salva minha família;
Senhor Jesus Cristo, que minha família cresça no teu Amor;
Obrigado, Senhor Jesus Cristo!

3) Renovação (segunda-feira):

Senhor Jesus Cristo;
Senhor Jesus Cristo, liberta-me do desânimo e mau humor;
Senhor Jesus Cristo, abençoa-me nesta segunda-feira;
Senhor Jesus Cristo, renova e alegra-me nesta segunda-feira;
Obrigado, Senhor Jesus Cristo!


4) Depressão (terça-feira):

Senhor Jesus Cristo;
Senhor Jesus Cristo, nesta terça-feira, liberta-me da depressão;
Senhor Jesus Cristo, preenche todas as áreas da minha mente com teu Amor;
Senhor Jesus Cristo, equilibra a minha mente;
Obrigado, Senhor Jesus Cristo!

5) Angústia (quarta-feira):

Senhor Jesus Cristo;
Senhor Jesus Cristo, nesta quarta-feira, liberta-me de toda angústia;
Senhor Jesus Cristo, preenche todas as áreas do meu ser com paz;
Senhor Jesus Cristo, equilibra-me com teu amor;
Obrigado, Senhor Jesus Cristo!


6) Enfermidade (quinta-feira):

Senhor Jesus Cristo;
Senhor Jesus Cristo, nesta quinta-feira, liberta-me de toda e qualquer enfermidade;
Senhor Jesus Cristo, visita o mais íntimo de mim e cura-me no teu Amor;
Senhor Jesus Cristo, equilibra-me fisicamente;
Obrigado, Senhor Jesus Cristo!


7) Trabalho (sexta-feira):

Senhor Jesus Cristo;
Senhor Jesus Cristo, nesta sexta-feira, abençoa meu trabalho e empreendimentos;
Senhor Jesus Cristo, que eu possa me realizar no meu trabalho;
Senhor Jesus Cristo, pelo teu Amor, que eu possa prosperar;
Obrigado, Senhor Jesus Cristo!


8) Estresse (sábado):

Senhor Jesus Cristo;
Senhor Jesus Cristo, neste sábado, liberta-me do esgotamento e do estresse;
Senhor Jesus Cristo, que eu possa descansar neste final de semana;
Senhor Jesus Cristo, reanima-me com teu amor;
Obrigado, Senhor Jesus Cristo!

Deus ofereceu ao Brasil a sua própria Mãe


Como nos recordou o papa Francisco em 2013, quando esteve no Brasil, na imagem de Nossa Senhora Aparecida “há algo de perene para se aprender”. “Deus ofereceu ao Brasil a sua própria Mãe”. Ele disse ainda a todos os bispos brasileiros reunidos naquela ocasião que “Aparecida é uma chave de leitura”.
De fato, a imagem quebrada, evoca nosso povo que precisa de restauração. Aquela pesca frustrada, pela fé, se torna uma pesca milagrosa. O escravo devoto é libertado da opressão. O poderoso cavaleiro descrente foi derrubado de seu trono, como profetizara Maria em seu Magnificat.

Verdades bíblicas se confirmam em fatos históricos guardados na alma do nosso povo. As crianças de Fátima guardaram os segredos recebidos. O mundo fez alarde e especulou o que poderia ser o famoso terceiro segredo de Fátima.
Obediente ao seu bispo, Ir. Lúcia em 1944 escreveu o segredo em carta que lacrou e escreveu em cima: para abrir em 1960. Curiosamente a Igreja respeitou. O papa João XXIII, após 1960, abriu, e mandou fechar. Paulo VI, alguns anos mais tarde também abriu e mandou fechar.

Aumentavam os rumores do mundo fantasioso.

Após receber um tiro em plena Praça de São Pedro, em 13 de maio de 1981, o papa João Paulo II também pediu para ler o terceiro segredo. Mas não fechou a carta. Ali dizia que o papa seria assassinado. Mas ele não havia morrido.

Como explicar? Pediu uma interpretação para o então prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, Joseph Ratzinger, que viria a ser o papa Bento XVI. Este fez um belíssimo comentário sobre o texto da Ir. Lúcia e conclui que profecias não são determinação imutável de destinos.
São alertas para que possamos nos converter. O papa seria morto. Mas a oração pode mudar até o rumo de uma bala. Tudo pode ser mudado pela força da oração.

Que o ano Mariano seja um tempo de pescas milagrosas, restauração de vida e de muita oração. Em tudo sigamos o conselho de Maria: “Façam tudo o que meu Filho vos disser”.
Fonte: Catholicus

- Copyright © Meu Imaculado Coração Triunfará -