As aparições da Rue du Bac, em Paris (II)

Estávamos no dia 27 de novembro de 1830, sábado, véspera do primeiro domingo do Advento. Às onze e meia da noite, enquanto eu meditava em profundo silêncio, tive a impressão de ouvir, à direita do santuário, algo como o farfalhar de um vestido de seda. Vislumbrei, então, a Virgem Santa perto do quadro de São José; ela tinha estatura média e o rosto era tão belo que eu não conseguiria jamais descrevê-lo. Estava de pé, trajava um vestido branco como a aurora, cuja forma é a que chamamos 'ao jeito da Virgem', e as mangas eram lisas. A cabeça coberta por um véu branco, que descia, de cada lado, até os pés. Os cabelos, partidos ao meio, em bandós, emolduravam-lhe o rosto e, sobre eles, uma espécie de delicada fita rendada. O rosto estava bem descoberto e os pés pousavam sobre um globo, ou melhor, sobre a metade de um globo; pelo menos, eu só vi a metade. Suas mãos, pousadas na altura do peito, portavam um outro globo, com bastante naturalidade. Ela mantinha os olhos erguidos para o céu e seu rosto se iluminou ao oferecer o globo a Nosso Senhor. De repente, seus dedos se encheram de anéis e de pedras preciosas belíssimas... Os raios que deles jorravam se refletiam, espalhando-se em todas as direções, envolvendo-a de uma tal claridade, que não dava para ver os seus pés, muito menos o vestido. As pedrarias possuíam diversos tamanhos e os raios que delas emanavam, lhes eram proporcionais. Eu não saberia como expressar o que sentia, nem tudo o que aprendi em tão pouco tempo. Como eu estava ocupada em contemplá-la, a Virgem Santíssima abaixou os olhos, fitando-me e ouvi uma voz, que saía do fundo do coração: 'Este globo que estás vendo, representa o mundo inteiro e, particularmente, a França e cada pessoa em especial.

Relato de Santa Catarina Labouré
As aparições da Rue du Bac, em Paris (II) As aparições da Rue du Bac, em Paris (II) Reviewed by Apostolos dos Sagrados Corações on sexta-feira, novembro 28, 2008 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.