terça-feira, 25 de novembro de 2008

Se procurarmos um motivo que fez de Maria a Bem-aventurada, encontraremos um que é fundamental: a sua fé. "Sim, feliz a que acreditou." (Lc.1, 45). Maria foi uma mulher de fé profunda e adulta. Acreditou sempre na Palavra de Deus, a exemplo dos grandes patriarcas do Antigo Testamento. Aderiu a Deus não só pela sua inteligência, fazendo um ato de fé no que o Senhor lhe dizia, como também pela sua vontade, estando pronta para fazer tudo o que Deus lhe pedia. 0 seu "SIM" ao anjo Gabriel traduz a grandeza e a sinceridade de sua fé. Estudando e meditando a fé de Nossa Senhora, nossos teólogos escreveram páginas belíssimas. Não só os católicos, como também os ortodoxos e evangélicos. A titulo de exemplo, vamos transcrever alguns desses pronunciamentos sobre a fé de Maria. "A vida terrestre de Maria de desenvolve à sombra da fé que nada enxerga, que não compreende, mas confia nos desígnios impenetráveis de Deus... A verdadeira grandeza de Maria reside precisamente na vida de fé." (Schillebeeck - "Maria, Mãe da Redenção, pág. 13)". "Crer fortemente e esperar contra todas as aparências contrárias é o elemento verdadeiramente característico da psicologia religiosa de Maria." (Id. Ib.25). "0 maior louvor que podemos dar a Maria é elogiar sua fé, como fez Isabel. Maria é o modelo da Igreja, sobretudo pela sua fé. Nós vemos nela a fé como grata escolhida daquele que é o Caminho, a Verdade e a Vida. Pela fé, Maria se abre à atuação do Espírito Santo e concebe em seu seio o Verbo Encarnado do Pai, juntamente com a feliz notícia da vinda do Salvador e da missão a ela confiada." (Bernardo Haring- "Maria, modelo de fé", pág.35). Max Thurian, ainda teólogo evangélico, da Comunidade de Taizé, em seu livro "MARIE, Mère du Seigneur, Figure de 1'Eglise", tem todo um capítulo dedicado à fé de Nossa Senhora. Como o livro não é muito divulgado entre nós, vamos transcrever alguns trechos do ilustre teólogo: "Cheia de graça em sua pobreza, Maria quer ser a serva do Senhor. A graça de Deus que plenificou, suscita nela a fé na veracidade das promessas do anjo. Depois de uma excitação legítima diante do ministério da maternidade virginal que lhe foi anunciada, ela se entrega totalmente, num ato de fé puro, à Palavra do Senhor. A graça a predestinou, a predispôs e a preparou para esse ato de fé." (Pág.88). Em palavras claras e precisas, Thurien analiza a fé de Maria: "A fé de Maria é primeiramente um ato de oferta: "Eis-me aqui". Pois que ela é toda graça de Deus, é natural que ela entregue tudo a graça de Deus, na oferenda de todo o seu ser. Este movimento é de uma pureza maravilhosa. A sobriedade das palavras faz brilhar ainda mais o esplendor da graça nela. A fé de Maria é, em seguida, um ato de obediência: "Eu sou a serva do Senhor". Maria entra no plano de Deus; ela aceita a grandiosa vocação de Filha de Sião, a função transtornadora de Mãe do Messias. Ela não acolhe esta vocação como uma glória para si, mas como um serviço de Deus. Com Este serviço magnífico, ela aceita também a objeção de uma situação anormal: ser uma mãe virgem, a crítica possível do seu ambiente social, o desprezo certo de José, seu noivo. Tudo isto é meditado, é aceito e acolhido na obediência do serviço de Deus. A serva do Senhor não discute, ela se entrega a Ele." "A fé de Maria, continua o teólogo de Taizé, é enfim um ato de confiança: "que se faça segundo a tua palavra". Depois de um instante de confusão, a saudação do anjo, Maria consentiu a princípio na sua maternidade messiânica. Ela não duvidou das palavras do anjo, mas simplesmente pôs a questão do "cano" desta maternidade, pois que não conhecia homem. Depois, logo que o anjo de Deus lhe revela que será como a Arca sob a nuvem luminosa, que o poder do Altíssimo a tomará nos seus ombros, que Isabel, em sua maternidade, é um sinal de onipotência divina, ela aquiesce totalmente a estas palavras e se põe a serviço do Senhor. 0 movimento da fé de Maria é de uma grande simplicidade e pureza... Maria aparece como a primeira que, na ordem nova do Cristo, realiza o movimento autêntico da fé... A fé de Maria é o fruto da pura graça e da Palavra de Deus. Ela adere, com toda confiança, à verdade das promessas do Senhor." (Págs.88/90). Esta longa citação de um teólogo evangélico, depois convertido ao catolicismo, nos mostra como a Virgem Maria, olhada na sua fé, na sua adesão a Deus, na sua disposição de viver a Palavra do Senhor, com sinceridade e doação, é um modelo para todos os cristãos. Devemos agradecer a ela pelo exemplo de uma fé adulta, que nos deixou. Já que "sem fé é impossível agradecer a Deus" (Hb.11,6), devemos olhar para Maria, bendizê-la pela sua vida de perfeita cristã e procurar seguir-lhe os passos. Maria é feliz, é bem-aventurada porque acreditou em Deus.

D. Epaminondas

Deixe um Comentário

- Copyright © Meu Imaculado Coração Triunfará -