Deus tem tempo para nós

CIDADE DO VATICANO, domingo, 30 de novembro de 2008 (ZENIT.org).-

«Deus tem tempo para nós», assegurou Bento XVI neste domingo ao explicar o sentido do período litúrgico de preparação ao Natal, o Advento, que iniciava nesse dia.
É a «boa notícia» que a Igreja oferece, disse --ao rezar a oração mariana do Ângelus junto a milhares de peregrinos congregados na praça de São Pedro, no Vaticano--, em um mundo caracterizado pelo estresse.
Comentando o Evangelho da liturgia dominical, que convida a velar em espera pelo Senhor que vem, o Santo Padre propôs uma original reflexão «sobre a dimensão do tempo, que sempre exerce sobre nós uma grande fascinação».
Começou «com uma constatação muito concreta: todos dizemos “nos falta tempo”, pois o ritmo da vida cotidiana se fez para todos frenético».
«Também nesse sentido a Igreja tem uma “boa notícia” a oferecer – declarou. Deus nos dá seu tempo. Nós temos sempre pouco tempo, especialmente para o Senhor, não sabemos ou, às vezes, não queremos encontrar esse tempo. Pois Deus tem tempo para nós!».
«Esta é a primeira coisa que o início de um ano litúrgico nos faz redescobrir com uma emoção sempre nova», confessou o pontífice, falando da janela de seu apartamento.
«Se – sublinhou – Deus nos dá seu tempo, pois entrou na história com sua palavra e suas obras de salvação para abri-la à eternidade, para convertê-la em história de aliança».
Desde esta perspectiva, indicou, «o tempo é já em si mesmo um sinal fundamental do amor de Deus: um dom que o homem, assim como sucede com os demais, é capaz de valorizar ou de estragar; de acolher seu significado ou de descuidar com superficialidade obtusa».
O bispo de Roma explicou que para os olhos de Deus o tempo tem três pontos cardeais que marcam o ritmo da história da salvação: «ao início está a criação, no centro da encarnação-redenção, e ao final a «parusia», a vinda final, que compreende também o juízo universal».
Agora, alertou, «estes três momentos não devem ser compreendidos simplesmente como uma sucessão cronológica».
«De fato, a criação se encontra certamente na origem de tudo, mas é também contínua e acontece durante todo o desenvolvimento do porvir cósmico até o final dos tempos».
Do mesmo modo, continuou esclarecendo, «ainda que a encarnação-redenção tenha ocorrido em um determinado momento histórico, o período da passagem de Jesus sobre a terra, continua estendendo seu raio de ação a todo o tempo precedente e ao posterior».
Por sua vez, «a última vinda e o juízo final, que precisamente tiveram na cruz de Cristo uma decisiva antecipação, exercem seu influxo sobre a conduta dos homens de todas as épocas», afirmou.
De fato, como ele mesmo constatou, «cada um, na hora que apenas Deus sabe, será chamado a prestar contas de sua própria existência».
«Isto implica um justo desapego dos bens terrenos, um sincero arrependimento dos próprios erros, uma caridade efetiva com o próximo e, sobretudo, uma humilde confiança nas mãos de Deus, nosso Pai, terno e misericordioso», assegurou.
Bento XVI havia dado início ao Advento, que apresentou como momento privilegiado de esperança, ao presidir as vésperas na tarde do sábado, na Basílica Vaticana.
Deus tem tempo para nós Deus tem tempo para nós Reviewed by Apostolos dos Sagrados Corações on segunda-feira, dezembro 01, 2008 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.