Archive for Abril 2009

O Senhor se revela a nós na oração

Quando conhecemos a vontade de Deus a nosso respeito nossa vida ganha um novo sabor e um novo entusiasmo. O que parecia estar desencontrado passa a ter um novo sentido. Não precisamos fazer muito esforço para conhecer a vontade divina para nós, basta lermos as Sagradas Escrituras, nelas a encontraremos.

“Orai incessantemente, dai graças em todas as circunstâncias, pois esta é a vontade de Deus a vosso respeito em Cristo Jesus” (I Tessalonicenses 5,18).

Jesus tinha clareza dos desígnios do Pai a Seu respeito, porque não fazia nada sem antes orar. O Senhor não nos quer confusos e ignorantes a respeito da Sua vontade para nossas vidas. É por isso que Ele nos convida para orarmos incessantemente, porque na oração Ele se revela a nós.

Uma coisa linda que também acontece é que a oração põe todas as coisas no seu devido lugar, restaurando, em nós, a semelhança de Deus, de forma a participarmos do poder do amor divino, que nos salva, cura e liberta.

Rezemos ao ritmo da vida e vivamos ao ritmo da oração. Com certeza, a nossa vida vai dar um salto de qualidade. Por essa razão, em todas as decisões a serem tomadas perguntemos ao Pai: “Senhor, o que queres de mim? O que queres que eu faça?” Abraçando tudo o que é bom e guardando-nos de toda a espécie de mal (cf. I Tessalonicenses 5, 21).

Jesus, eu confio em Vós!
Luzia Santiago

A fé faz o impossível


A fé faz o impossível tornar-se possível
Assim como é preciso aplicar nossos sentidos e inteligência, é preciso aplicar a fé. Temos esse dom e precisamos aplicá-lo. Há pessoas com “preguiça mental”: não usam a inteligência. Na verdade, a maioria das pessoas não usa nem 10% de sua inteligência e de sua capacidade intelectual. O mesmo acontece com seus sentidos pouco explorados. Existem pessoas até com os sentidos preguiçosos. Não atingem os 100% da visão e da audição porque não os aplicam.

Os deficientes visuais têm o tato e a audição muito aguçados, por isso são excelentes músicos e cantores, captam com o ouvido o que em geral não captamos. E por quê? Simplesmente porque os aplicam com afinco. Tive oportunidade de perceber isso numa de minhas melhores gravações musicais, quando trabalhei com os Titulares do Ritmo, um grupo de músicos deficientes visuais. Eles me impressionaram com a sensibilidade na interpretação de cada ritmo gravado.

Você também tem essa capacidade. Uma pessoa, ao perder a visão, praticamente é obrigada a aplicar melhor sua audição e, se aplicar o tato, é capaz de ler por meio do maravilhoso método braile, constituído por pontos salientes. Nós também temos esse tato e porque vemos e ouvimos não o aplicamos. O mesmo aconteceu com nossa fé. Infelizmente, nós somos preguiçosos. Não aplicamos nem 10% da nossa capacidade intelectual, nem 1% da nossa fé. Gostaria de dar uma porcentagem diferente, mas, infelizmente, nós não aplicamos nem 1% da fé. Repito: você infelizmente não tem aplicado nem 1% da sua fé.

“Se tiverdes fé, como um grão de mostarda, direis a esta montanha: Transporta-te daqui para lá, e ela irá; e nada vos será impossível” (Mateus, 17, 20).

A fé faz o impossível tornar-se possível. Mas é preciso aplicá-la. Se você não aplica seu tato, sua audição, eles não vão se desenvolver, mas se aplicá-los eles podem chegar aos 100%. Você precisa crescer na fé. Você precisa aplicar-se na fé.
Se você não desenvolvê-la, não verá o que só quem tem fé confiante e viva pode viver e experimentar. E a vitória não acontecerá.

Por isso, rezemos: Quero ser vencedor. Creio que a fé é a vitória que vence o mundo e é capaz de vencer todas as situações do mundo. Renova minha fé, Senhor, desperta-me, Senhor, quero crer, de todo o meu coração e, assim, ser realmente feliz.

O poder de Deus é maior do que qualquer resistência, mas Ele respeita a liberdade e não a viola. Pelo contrário, deseja que aconteça um encontro pessoal e único entre você e Ele, o Senhor. Se você ainda não teve esse encontro, precisa tê-lo. Só assim sua vida terá sentido.

Monsenhor Jonas Abib

Com Maria a vitória é certa!


A nossa geração tem sido abatida terrivelmente pelo inimigo de Deus. O demônio, sabendo que pouco tempo lhe resta, veio sobre nós, justamente sobre a nossa geração... Por essa razão, a batalha entre a Mulher e o dragão. Para podermos ter a vitória, nós precisamos estar do lado da Santíssima Virgem.
Falar, em nossos tempos, de devoção a Nossa Senhora não é falar de uma “devoçãozinha”, não! Estamos tratando de uma questão de guerra, o próprio Deus é quem constituiu Seu exército. Ele mesmo entregou o comando a uma Mulher: a Virgem Maria. Essa Mulher está vestida de sol. Ela tem uma coroa de doze estrelas. Tem a lua debaixo dos pés. Ela é a Mãe de Deus, a Mãe de Nosso Senhor Jesus Cristo. Ela é aquela que nos trouxe o Salvador. A Santíssima Virgem é pobre, é simples, humilde. Mas é Ela que está na chefia desse exército.
Do outro lado, está o dragão, que foi bem descrito em Apocalipse 12: a primitiva serpente, o demônio, satanás. Aquele que quer corromper tudo. Que quer desgraçar tudo.
Não é à toa que hoje se levanta, com força totalmente nova, a devoção a Nossa Senhora! Devoção esta que é uma questão de guerra. Deus quer enfileirar, atrás dela, todos os Seus filhos: aqueles que precisam vencer a batalha contra o dragão e o seu exército. Para você ser vencedor nesta luta que está travando, – seja na espiritualidade, seja na sexualidade ou na afetividade e em todas as áreas de sua vida –, você precisa da Santíssima Virgem. Ela é a vencedora que vai à sua frente! Nenhum de nós, sozinho, vai conseguir vencer!
Em primeiro lugar, eu pessoalmente me consagrei de novo a Nossa Senhora; depois, consagrei a Canção Nova todinha a Ela. Tenha certeza de que você vai experimentar a vitória, até que o maligno seja precipitado de novo no abismo. Por fim, o Imaculado Coração de Maria triunfará. Sim! Tenha certeza da vitória dela! É a sua vitória! Diga assim: “Eu sou vitorioso com Maria! A vitória da Santíssima Mãe de Deus é a minha vitória! Eu verei a vitória de Deus! Amém!”

Monsenhor Jonas Abib

A Cooperação privilegiada de Maria à Redenção


Maternidade espiritual de Maria - "A Bem-aventurada Virgem, predestinada - desde toda a eternidade, no cerne do desígnio da encarnação do Verbo divino - para ser a Mãe de Deus, na Terra, por disposição da divina Providência, foi a venerável Mãe do Redentor divino, generosamente associada à sua obra, título absolutamente único, e humilde escrava do Senhor.
Concebendo a Cristo, gerando-o, alimentando-o, apresentando-o no Templo ao Pai, sofrendo com seu Filho que morria na cruz, ela cooperou de modo absolutamente singular - pela obediência, pela fé, pela esperança e por sua ardente caridade - na obra do Salvador, para restaurar a vida sobrenatural das almas. Por tudo isto, ela é nossa Mãe na Ordem da graça."


Lumen Gentium, Capítulo VIII § 61
Concílio Vaticano II

O amor de Deus Acima do Nosso


Deus olha o coração e nós olhamos as aparências... Deus ama os defeitos e nós amamos as qualidades... Deus nos acolhe independente da condição na qual nos encontramos e nós impomos condições para acolhermos... Deus está sempre nos esperando e nós não temos paciência para esperarmos... Deus está sempre disponível e nós nos colocamos indisponíveis... Deus tem coragem de adentrar no mais profundo do nosso ser e nós temos medo de aprofundar no outro... Deus não tem receio de dizer que nos ama e nós temos vergonha de dizer... Deus nos deixa livres para sermos nós mesmos e nós aprisionamos o outro de ser ele mesmo...

Deus não nos suporta, Ele nos ama incondicionalmente, sem limitações, sem cobranças... Ele simplesmente nos conquista, nos cativa. Com as pessoas deveria acontecer assim: conquistar e cativar - sem cobranças, sem limitações. “Não por força e nem por poder, mas pelo meu Espírito”.
A melhor maneira de conquistar e cativar o outro, é ter a coragem de adentrar no mais profundo do seu ser, mas acredito que nós talvez não estejamos preparados para isso, pois todos temos o nosso lado obscuro, sombrio, onde só Deus pode entrar e nos amar, sem se afastar. E às vezes quando começamos a aprofundar no outro, percebemos que ele é diferente daquilo que pensamos e nos afastamos. Mas Deus faz o contrário de nós: Ele fica.
As pessoas muitas vezes só querem ficar com a nossa aparência, nossa beleza, nosso status, e não querem se aprofundar no mais íntimo de nós. São poucos que têm a coragem, disponibilidade, paciência para adentrar no outro, para o conhecer verdadeiramente e o amar. Esses que têm essa coragem, não a tem por si só e sim por Deus. É Deus quem os capacita e os inspira a terem essa coragem, disponibilidade e paciência.
Percebo que às vezes somos como um “cacto”. As pessoas o acham bonito, interessante e que só serve para enfeitar o ambiente no qual se encontra, mas não têm a coragem de irem até ele e descobrirem que se pode extrair água dali. Assim acontece conosco quando não temos a coragem de adentrar no outro. Deixamos de extrair o que o outro tem de melhor, quando não queremos nos aprofundar em si.
Devemos lembrar sempre que podemos aprender muito com o outro – seus defeitos e suas qualidades e que também ninguém é perfeito.
Peçamos a Deus para nos dar a graça de ter coragem, disponibilidade e paciência para adentrar no outro, sem reservas, sem limitações, sem cobranças, sem se importar com a sua aparência. E procurar sempre enxergar algo bom em tudo e em todos.


Luziene Ferreira de Sousa - Ministra de Música da Comunidade Santo Inácio de Loyola

fonte: www.pastoralis.com.br

- Copyright © Meu Imaculado Coração Triunfará -