O CORAÇÃO DE JESUS, TEMPO DA SANTÍSSIMA TRINDADE

“O Coração de Jesus, Paraíso de Delícias Celestes!” Enquanto a Palavra de Deus do Tempo Comum nos propõe uma espiadinha no céu, a feliz eternidade a partir de uma verdadeira hospitalidade e acolhida entre irmãos que se amam, tornando-nos, assim cada vez mais, uma Igreja Missionária e Discípula de Jesus Cristo, como também nos propõe o Projeto Missionário de nossa Arquidiocese de Ribeirão Preto – SIM – SER IGREJA EM MISSÃO, sendo uma Igreja do Ir ao encontro das pessoas; projeto esse confirmado pelo Documento de Aparecida, que espera de cada Comunidade de Fé maior docilidade na configuração dos cristãos com Cristo, o Bom Pastor: aquele que conhece, ouve, vai ao encontro e vive entre seu rebanho, acariciando-o com simplicidade e descomplicadamente, o primeiro dia da Novena em honra ao Sagrado Coração de Jesus, nos apresenta, a partir do Coração de Jesus, um Paraíso de Delícias Celestes, na medida em que o compreendemos como Templo da Santíssima Trindade! Dificilmente dissociamos a figura do coração do amor. Vemos as pessoas unirem as mãos em forma de um coração, para expressar o consentimento de seu amor por alguém ou algo realizado. Também fica difícil dissociar o Coração de Jesus do mistério da Santíssima Trindade. É deleitoso pensar a Santíssima Trindade como Templo do Coração Sagrado de Jesus! Gosto de pensar que Deus é louco. Louco de amor pela humanidade. Já a Santíssima Trindade, é para todos nós, exemplo de Comunidade tão perfeita na unidade, que só pode mesmo ser compreendida a partir de um amor apaixonante com sabor de um único Deus em três Pessoas. Por isso costumo mergulhar em tamanho mistério na compreensão de um Amante, Pai, amando um Amado, Filho com um Amor divinamente delicioso, Espírito Santo! É de singular importância a Solenidade do Sagrado Coração de Jesus em minha vida, desde a infância. Embora mergulhado no útero da Igreja na Paróquia da Sagrada Família, na cidade gaúcha de Três Coroas, onde fui batizado no dia 16 de junho de 1957, com apenas cinco anos de idade, passei a freqüentar a Paróquia Sagrado Coração de Jesus, em Novo Hamburgo, também no Rio Grande do Sul, que cultivou minha fé recebida no batismo, fazendo de meu coração, aos sete anos de idade, o “sacrário de Jesus”, quando na manhã do dia 4 de outubro de 1964, recebia, pela primeira vez Jesus Sacramentado, como meu grande alimento espiritual. São indescritíveis as delícias experimentadas naquele dia. As Irmãs de Santa Catarina de Alexandria mantinham a Escola Paroquial do Sagrado Coração de Jesus, que ficava em frente à suntuosa e belíssima Igreja Matriz, que vi sendo erguida pouco a pouco. Lá fui coroinha e participei do Coral, das Pastorais Catequéticas e Juvenis. Implantei o dízimo, visitando mais de doze mil residências, cadastrando todas as Famílias pertencentes à Paróquia, que hoje tem um dos mais eficazes dízimos conhecidos na Região Sul do País. As Novenas em honra ao Sagrado Coração de Jesus eram muito concorridas, bem participadas e em pleno Concílio Ecumênico Vaticano II, cujo Jubileu de Ouro de sua Abertura celebraremos neste Ano da Fé no próximo dia 11 de Outubro, envolviam a cada ano mais os leigos tão lindos e dedicados à construção de uma Igreja renovada, que causava gosto de ser vivida e que atraía desde as criancinhas aos anciãos, multidões de fiéis para celebrar e confraternizar. Com a renda das Quermesses vultosas, construímos uma Igreja belíssima de estilo alemão moderno. Porém, não ficaram no esquecimento as inúmeras Comunidades, então chamadas Capelas, que formavam a Paróquia. A implantação das novas idéias do Concílio foram logo assimiladas e criavam-se as hoje tão faladas “Redes de Comunidades”, comprometidas por serem uma Igreja verdadeiramente discípula e missionária do Sagrado Coração de Jesus. Era, sem dúvida, um prefácio, um aperitivo do que podemos chamar as delícias celestes que seguramente iniciavam já em vida terrena, o Paraíso preparado a cada um e a todos que viviam a devoção ao Coração Sagrado de Jesus! Foi também a Comunidade de Fé, Oração e Amor do Sagrado Coração de Jesus, que confirmou minha vocação ao ministério ordenado. As Senhoras do Apostolado da Oração prepararam meu enxoval para ingressar no Seminário Menor de São João Maria Vianney da Arquidiocese de Porto Alegre. As Irmãs bordaram o número 119 que identificava minhas roupas, entre as dos 121 colegas do Seminário. Tudo foi preparado com zelo, amor e dedicação: uma verdadeira delícia paradisíaca, que jamais é possível ser esquecida. Hoje, com mais de 22 anos de ministério presbiteral vivido, continuo minha ação de graças por essas pessoas, algumas já no colo de Deus saboreando as delícias celestes no Paraíso; outras ainda caminhando entre nós ao mesmo destino. Falar em coração significa falar em amor. Gosto de pensar sempre que Deus é tão louco de amor pela humanidade, a ponto de oferecer o coração do próprio Filho, a fim de que possamos experimentar, antecipadamente, o Paraíso que nos proporciona as delícias celestes. Mas não basta fazer a experiência de tais delícias celestes, isto é, conhecer o sabor do amor divino, sem reparti-lo com os outros. Um amor guardado, trancado, fechado em si mesmo mofa, cheira mal, porque cheira a egoísmo. O amor proveniente do Coração Sagrado de Jesus, é uma delícia que só experimenta, quem sabe amá-lo no outro, no diferente, no difícil, na capacidade de compreensão e perdão sem medidas, a exemplo da Santíssima Trindade, que embora sejam três, amam o mesmo amor! Celebrar a Solenidade do Sagrado Coração de Jesus nos conclama ao “seguimento do Mestre, como discípulos e missionários pequenos, despojados como ele; e assim ele se identificará conosco, enquanto despojados, pobres, simples, pois esta parece ser a medida de nossa bondade gratuita que tempera as ‘delícias celestes de um paraíso’ que não virá depois, mas que se inicia já, no dia a dia, na relação com nossos irmãos. A recompensa, enfim, será agraciada por este Deus que nos oferece o Sagrado Coração de seu Filho, fazendo-se pobre com os pobres: com a alegria eterna” (cf. Mt 25,31-46). Que a Festa do Sagrado Coração de Jesus os encoraje na constância da fé e da caridade e os configure cada vez mais consigo. Sejamos sacramento de um Paraíso que exale as delícias celestes a todos que perderam a esperança de um mundo melhor! Padre Gilberto Kasper
O CORAÇÃO DE JESUS, TEMPO DA SANTÍSSIMA TRINDADE O CORAÇÃO DE JESUS, TEMPO DA SANTÍSSIMA TRINDADE Reviewed by Apostolos dos Sagrados Corações on quinta-feira, junho 14, 2012 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.