segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Pe. Gilberto Kasper* “Presenciamos uma aceleração contínua de novos comportamentos, tendências, estilos de vida e expressões de subjetividade. A complexidade e a diversidade das realidades humanas e sociais interagem e se expandem de tal forma que cada vez mais fica difícil prever o comportamento dos jovens e dos seus grupos. O relacionamento para os jovens da cultura midiática refere-se ao novo modo de comunicar-se. Eles querem ser autores e participantes dos processos de relacionamento. Em virtude disso, cada vez mais, as pessoas, as empresas, as escolas têm deixado modelos hierarquizados, funcionalistas, para valorizar o ser humano, a gestão do conhecimento, a criatividade, a originalidade e o talento associados ao respeito, à individualidade e à busca da qualidade de vida, da valorização de si, do próprio corpo, do tempo livre, da afetividade, da família. Os jovens e as novas tecnologias formam uma teia complexa e imensa de interatividade e relações. A interatividade significa uma mudança de poder nas relações humanas mais significativas da sociedade, ou seja, na família e na escola. Os jovens exigem cada vez mais um falar e ouvir, um ouvir e falar – o diálogo nasce e cresce a partir da relação natural de interatividade. Essa interatividade está presente no protagonismo dos jovens na música, na arte, no esporte, no trabalho e na educação. Ao interagir com pessoas no ambiente educativo e no trabalho, eles estão exigindo, cada vez mais, mudanças nos diversos âmbitos, como o sociopolítico e econômico, para que possam criar ambientes colaborativos, de transparência, de competência, de inovação e de engajamento na sociedade” (cf. Manual da CNBB para a CF de 2013, pp. 21-23). A Campanha da Fraternidade em sintonia com a Jornada Mundial da Juventude despertam novo horizonte aos jovens do Brasil e do mundo. Se de um lado parecem passivos e insensíveis aos desafios que a vida se lhes impõem, de outro são convidados a serem os protagonistas no seguimento de Jesus Cristo, que conta com eles na concretização de um Reino de Justiça, Verdade, Liberdade, Paz e Amor verdadeiro. Não basta o jovem ter reservado e respeitado seu espaço na sociedade. Ele precisa agir e reagir com a coragem profética que a Igreja lhe confia! *pe.kasper@gmail.com Mestre em Teologia Moral, Especialista em Bioética, Ética e Cidadania, Professor Universitário, Assistente Eclesiástico do Centro do Professorado Católico, Reitor da Igreja Santo Antônio, Pão dos Pobres da Arquidiocese de Ribeirão Preto e Jornalista.

Deixe um Comentário

- Copyright © Meu Imaculado Coração Triunfará -