Até Lutero e Calvino reconheciam Maria como Mãe de Deus e sempre Virgem


Pensem numa bola de neve: quanto mais ela rola montanha abaixo, maior ela vai ficando. Assim é a heresia protestante: lá pelo século XVI, ela explodiu com Lutero e Calvino, mas não ficou só nos erros de sua origem: quanto mais o tempo ia passando, novos erros iam se somando à heresia original.
Por exemplo: os primeiros reformadores deformadores protestantes ensinavam que Maria é Mãe de Deus e acreditavam em sua virgindade perpétua. Mas como a onda do protestantismo é protestar e dividir, já no tempo de Lutero começaram a surgir protestantes discordando desses ensinamentos.

E é assim até hoje. Enquanto a doutrina Católica permanece sempre íntegra e fiel à herança dos Apóstolos, as seitas protestantes inventam uma heresia nova a cada dia.

Tem dado muito o que falar um vídeo do pastor Claudio Duarte, figurinha fácil em programas de TV. No tal vídeo, falando a um grupo de protestantes, ele se gaba de ter atacado os dogmas marianos dentro de uma igreja católica (uma paróquia em BH), na qual teria sido convidado a pregar.

O pastor despreza a crença católica na virgindade perpétua de Maria e fala que ela não poderia ser Mãe de Deus, pelo simples fato de que ninguém pode ser mãe de alguém que é mais velho do que ela.

Achei que todo o cristão deveria estar acostumado com o fato de que os mistérios de Deus nem sempre são tão óbvios assim. Naquele tempo, ninguém poderia ser mãe sem fazer sexo, e, no entanto, os protestantes também creem que Maria engravidou de Jesus sendo virgem.
estava errada disse: "Donde me vem esta honra de vir a mim a MÃE DO MEU SENHOR?" (Lucas 1,43). Os protestantes se gabam tanto se seguirem a Bíblia, mas não conseguem aceitar essa revelação tão clara da Palavra? Estranho...
O próprio Lutero explica de forma muito simples que não se pode separar a natureza humana de Cristo de sua natureza divina. Se Jesus era Homem e Deus ao mesmo tempo, é lógico que Maria não carregou em seu ventre somente o “Jesus homem”: ela gerou e deu à luz o Deus Encarnado. Quem quiser, pode chorar!

“Deus não recebeu sua divindade de Maria; todavia, não segue que seja consequentemente errado afirmar que Deus foi carregado por Maria, que Deus é filho de Maria, e que Maria é a Mãe de Deus. Ela é a Mãe verdadeira de Deus, a portadora de Deus. Maria amamentou o próprio Deus; ele foi embalado para dormir por ela, foi alimentado por ela, etc. Para o Deus e para o Homem, uma só pessoa, um só filho, um só Jesus, e não dois Cristos. Assim como o seu filho não são dois filhos...”
- Martinho Lutero. Nos Conselhos e na Igreja. Ano 1539

Sobre a virgindade perpétua de Maria, Lutero esclarece:

"Agora, a questão sobre a qual que temos que nos debruçar é sobre como Cristo poderia ter irmãos, se Ele era o filho único da Virgem Maria, e a Virgem não teve outros filhos além dele. Alguns dizem que José foi casado antes de seu casamento com Maria... Mas eu estou inclinado a concordar que 'irmãos' realmente significa 'primos' aqui, pois a Sagrada Escritura e os judeus sempre chamam os irmãos de primos.
- MARTINHO LUTERO. Luther’s Works, Vol. 22. St. Louis: Concordia Publishing House, 1957. Translated by Martin H. Bertram. pp. 214-15

“E ele não a conheceu até que ela deu à luz um filho”: muitos protestantes usam essa passagem para argumentar que o ATÉ QUE indicaria que dali em diante José “conheceria” a sua esposa Maria. Calvino explica que essa conversa é furada:

"Houve certas pessoas que quiseram sugerir a partir desta passagem [Mt 1,25] que a Virgem Maria teve outros filhos além do Filho de Deus, e que José se relacionou intimamente com ela depois; mas que estupidez! O escritor do evangelho não teve a intenção de registrar o que aconteceu depois; ele simplesmente quis deixar bem clara a obediência José (...). Ele, portanto, nunca habitou com ela nem compartilhou de sua companhia (...). Além disso, Nosso Senhor Jesus Cristo é chamado o primogênito. Isso não é porque houve um segundo ou um terceiro filho, mas porque o escritor do Evangelho está destacando sua precedência."
- João Calvino. Sermão sobre Mateus 1,22-25. Ano 1562 (Max Thurian. Mary: Mother of All Christians (translated by Nevill B. Cryer, New York: Herder & Herder, 1963, pp. 39-40)

Bem, mas vocês sabem: a bola de bosta, quer dizer, a bola de neve de heresias vai continuar rolando ladeira abaixo, até se espatifar. Enquanto isso, vamos seguindo firmes na barca de Pedro, que balança mas nunca afunda!
Até Lutero e Calvino reconheciam Maria como Mãe de Deus e sempre Virgem Até Lutero e Calvino reconheciam Maria como Mãe de Deus e sempre Virgem Reviewed by Notícias Pop on quarta-feira, agosto 16, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.