sexta-feira, 11 de agosto de 2017



Você acredita em milagres, no destino ou em algo semelhante? A impressionante história da americana Shelly Cawley é daquelas que mexem com a nossa mente e com nosso espírito, e que nos fazem procurar por uma explicação.

Grávida, a mulher de 23 anos esperava ansiosa pela chegada de seu primeiro filho. Dia após dia, ela sonhava em poder segurar seu filho nos braços. Contudo, quando o trabalho de parto começou, após a longa espera, um verdadeiro pesadelo o acompanhava.

Shelly foi submetida a uma cesariana de emergência que trouxe ao mundo a pequena Rylan, nascida de forma saudável. No entanto, um coágulo de sangue se desprendeu na mãe, bloqueando artérias de seu corpo. Com isso, Shelly entrou em coma. Mas o pior podia ser visto no olhar dos médicos. Eles haviam perdido a esperança de que a jovem pudesse sobreviver. Rylan não teria uma mãe para acompanhar seus passos? Era muito injusto.

O marido de Shelly, Jeremy, conta que o momento o levou a um turbilhão de emoções. A felicidade em ver o seu filho estava acompanhada pela tristeza de ver a esposa naquele estado. E era a tristeza quem gritava mais alto. "Você fica tão feliz quando seu filho nasce... e, no momento seguinte, você acha que vai ter que dizer adeus a sua esposa para sempre. Era como se eu estivesse anestesiado", comentou o pai.
Mas como a vida é cheia de mistérios, uma das enfermeiras ali presentes, Ashley Manus, teve uma ideia curiosa. Em um esforço desesperado e que nada custava, ela pediu para que a bebê fosse colocada em contato com a pele da mãe: "Nós sabemos que, para um recém-nascido, o contato com a pele da mãe pode ser muito útil, então por que isso não funcionaria ao contrário?".

Ashley diz que mesmo que o cenário ilustrasse o contrário, ela ainda acreditava que Shelly poderia se salvar. E àquela altura, o instinto materno seria a sua salvação. E assim, durante 10 minutos, deixaram Rylan ao lado de sua mãe. "Nós até chegamos a fazer cócegas e dar alguns beliscões", conta Jeremy. Mas não funcionava. E quando todos estavam prestes a desistir e aceitar o que parecia ser inevitável, eis que Shelly começa a gritar.

"Vimos o monitor cardíaco mostrar um sinal de vida. Sem ter como explicar, ela estava de volta. Minha esposa voltou para nós", lembrou Jeremy, emocionado. Os médicos, então, continuaram a fazer todo o esforço possível para salvá-la. E após uma semana, ela acordou completamente do coma. E pela primeira vez, a jovem pôde realizar o seu sonho de segurar seu filho nos braços. "Olhei para o rosto de Rylan e a vi bebê mais linda do mundo. Eu sei que todas as mães dizem isso, mas nós duas passamos a ter uma conexão especial depois de tudo o que aconteceu", disse a mãe.
Hoje, a pequena Rylan já tem 1 ano. E Shelly não vê a hora de contar o que aconteceu para sua pequena heroína: "Quando ela crescer, eu vou lhe dizer que ela salvou minha vida".
Realmente incrível, não é mesmo?

Via Best Of Web

Deixe um Comentário

- Copyright © Meu Imaculado Coração Triunfará -